• SEJA_ASSUFSM-1.png
  • 10349021 10152490505923833 3661379218707423648 n
  • Icone Facebook
  • YouTube Icone
  • touch-icon-192x192.png
Novembro 2018
D S T Q Q S S
28 29 30 31 1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 1
Sab Nov 24 @12:00PM -
Abertura da Temporada de Verão da Assufsm
Dom Nov 25 @12:00PM -
Feijoada na Assufsm
Ter Nov 27 @ 2:00PM -
Roda de Conversa "Mulheres Negras na Política"
Qua Nov 28 @ 4:00PM -
Debate "Reflexo do Racismo Institucional na Universidade

Calendário completo final 248

ATIVIDADES MÊS N 03

Cartaz Campanha 248

 

verão assufsm

espaço saindical

voz da categoria 248 final

Regulamentação ou a extinção das carroças em Santa Maria

Será que excluir o carro de utilidade e servidão ao homem que traz o sustento de muitas famílias humildes, simples, pobres de baixa renda, através da tração animal, principalmente o cavalo, que serve o homem há séculos e está tão humildemente submisso ao ser humano, muitas vezes mal tratado, resolve?

O que deveria existir é um órgão ou setor fiscalizador da saúde desses animais. Os animais que estão sendo assim usados deveriam ser avaliados e fiscalizados por médicos veterinários, com seus usuários informando sobre o tratamento que está sendo dado ao animal, alimentação, vermífugo adequado, quantas horas de trabalho, quanto de peso carrega e se há respeito ao limite do animal e tudo que o veterinário achar necessário ao bem estar.

Assim, poderia orientar e esclarecer tudo que o animal precisa para trabalhar adequadamente e ser saudável. Se o proprietário não cumprir as determinações do veterinário em tempo orientado o animal seria recolhido, tratado e recuperado, e o dono só o obteria de volta se indenizasse o valor que o município gastou no tratamento.

Em caso de maus tratos o dono não teria direito ao resgate e seria processado na letra da lei. Os animais adquiridos nestas oportunidades não poderiam ser vendidos, mas sim devolvidos ao setor público. Aquele que pagar o que foi gasto com a recuperação do animal receberia o animal para seu uso como fiel depositário.

Se a fiscalização flagrar maus tratos ou irregularidades deter o dono e o animal e chamar a polícia e o médico veterinário do setor público para tomar as medidas cabíveis ao caso.

Aniceto Cabral é servidor técnico-administrativo em educação aposentado da UFSM.



A seção A voz da categoria foi criada para proporcionar um espaço no qual a base da Assufsm possa manifestar suas opiniões, através de artigos dissertativo-argumentativos, sobre as questões sindicais que permeiam o espaço acadêmico e o mundo do trabalho.

Os artigos devem ser enviados para o email comunicaassufsm@gmail.com em formato .doc, com no mínimo 3mil caracteres com espaço (cerca de 1 lauda, fonte arial, tam 12, espaçamento 1.0) e no máximo 6mil carac. com espaço (cerca de 2 laudas, fonte arial, tam 12, espaçamento 1.0). Devem conter título e assinatura do autor, com nome, e um breve perfil (no máximo 3 linhas).

Os artigos serão atualizados semanalmente, de acordo com o recebimento dos textos.

-- A Assufsm ressalta que os artigos não expressam a opinião da entidade, sendo de inteira responsabilidade de seus autores. Textos com conteúdos ofensivos ou pejorativos não serão aceites para publicação, uma vez que esse espaço busca proporcionar crescimento e acúmulo de conhecimento através de textos que promovam a reflexão e ampliem o senso crítico da comunidade universitária.

Veja outros artigos da Voz da Categoria clicando aqui.



Associação dos Servidores da Universidade Federal de Santa Maria (ASSUFSM)

CNPJ 88.112.420/0001-00 - Fones (55) 3220-8123 e (55) 3220-8385 - Fax: (55) 3226-2600

Campus Universitário, Prédio da Administração Central, 10º andar, sala 1006

E-mails: secretaria.assufsm@terra.com.br (Secretaria) comunicaassufsm@gmail.com (Assessoria de Comunicação)

SINTEST-RSFASUBRAFASUBRA