• SEJA_ASSUFSM-1.png
  • 10349021 10152490505923833 3661379218707423648 n
  • Icone Facebook
  • YouTube Icone
  • touch-icon-192x192.png
Dezembro 2018
D S T Q Q S S
25 26 27 28 29 30 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31 1 2 3 4 5
Nenhum evento

verão assufsm

espaço saindical

voz da categoria 248 final

10 de outubro: Basta de violência contra a mulher

10 de outubro é o Dia nacional de Luta contra a violência à mulher no Brasil. Nessa data, em 1980, inúmeras mulheres ocuparam as escadarias do Teatro Municipal, na cidade de São Paulo, para protestarem contra o crescente número de casos de violência contra a mulher no país.

O movimento refletiu um debate nacional, que denunciava o aumento desses crimes, e exigia a implementação de políticas públicas e a reformulação do Código Penal, para adequá-lo à realidade que vitimava tantas mulheres. Apesar dos posteriores avanços na legislação Brasileira, como com a criação lei Maria da Penha e a lei do Feminicídio, a violência contra a mulher ainda é um problema social no país.

De acordo com os dados mais recentes, só em 2013, 4.762 mulheres foram mortas só por serem mulheres. O Ministério da Saúde alerta para a violência doméstica e familiar como a principal forma de violência praticada contra as mulheres que leva à morte no Brasil.

Além da violência expressar o ódio de gênero, também representa o racismo estrutural do Brasil: em dez anos, o número de mortes violentas de mulheres negras aumentou 54%, passando de 1.864, em 2003, para 2.875, em 2013. No mesmo período, a quantidade anual de homicídios de mulheres brancas diminuiu 9,8%, caindo de 1.747, em 2003, para 1.576, em 2013.

A violência sexual também é uma realidade alarmante: em 2015, o Brasil registrou 1 estupro a cada 11 minutos. Além de tudo, as denúncias refletem de forma limitada o real índice: muitas vítimas não têm coragem, estrutura emocional ou independência financeira para realizarem a queixa formal contra os agressores, que são majoritariamente familiares, cônjuges ou amigos próximos.

         Por essa razão, se faz tão importante o debate sobre a violência à mulher. Essa é uma luta em defesa da vida e da dignidade das mulheres, e deve ser travada por toda sociedade. Se você é vítima ou conhece alguma mulher que é vítima de violência Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher.

 

 

Fontes:

Anuário Brasileiro de Segurança Pública

Mapa da Violência 2015: homicídio de mulheres no Brasil

- Compromisso e atitude: lei maria da penha

- Ligue 180



Associação dos Servidores da Universidade Federal de Santa Maria (ASSUFSM)

CNPJ 88.112.420/0001-00 - Fones (55) 3220-8123 e (55) 3220-8385 - Fax: (55) 3226-2600

Campus Universitário, Prédio da Administração Central, 10º andar, sala 1006

E-mails: secretaria.assufsm@terra.com.br (Secretaria) comunicaassufsm@gmail.com (Assessoria de Comunicação)

SINTEST-RSFASUBRAFASUBRA